Ads 468x60px

Labels

Visualizações

Featured Posts

.

Publicidade e Propaganda

Publicidade e Propaganda

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Dado Dolabella é preso por não pagar pensão alimentícia

O ator Dado Dolabella foi preso no início da tarde desta quinta-feira (17) por policiais da 11ª DP (Rocinha) por não pagar pensão alimentícia. De acordo com a polícia, no mandado de prisão consta que o ator tem uma dívida de mais de R$ 190 mil.



Pela manhã, os agentes chegaram a procurar o ator em seu apartamento em Copacabana, na Zona Sul do Rio. Os policiais ficaram lá no apartamento de Copacabana de 9h às 13h, mas, segundo os agentes, ninguém atendeu. Após achar que os policiais tinham ido embora, Dado saiu do apartamento, sendo preso logo em seguida.

Segundo a polícia, Dado deve R$ 196.397,54 de pensão alimentícia ao filho Eduardo Neves Dolabella, fruto de seu relacionamento com Fabiana Vasconcelos Neves. O valor foi acumulado em quase dois anos.
Dado chegou na delegacia por volta das 14h e, segundo policiais, não apresentou resistência ao ser preso.

Geddel é denunciado por obstrução de Justiça e improbidade

Além da denúncia criminal, o Ministério Público Federal (MPF), em Brasília, enviou à Justiça uma ação por improbidade administrativa contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima. A ação tem caráter cível e foi oficializada via Processo Judicial Eletrônico (PJE) na terça-feira, 15. O Ministério Público Federal pede que o ex-ministro seja condenado às penas previstas para a infração, que incluem a suspensão de direitos políticos por até cinco anos, a proibição de firmar contratos com o poder público além do pagamento de multa.



Geddel está em prisão domiciliar deste o dia 12 de julho, sem tornozeleira eletrônica, por decisão do desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1).

A Procuradoria da República quer que Geddel Vieira responda por improbidade administrativa por ter - na condição de ministro-chefe da Secretaria de Governo - pressionado o então ministro da Cultura, Marcelo Calero Faria, para conseguir a liberação de um empreendimento imobiliário que havia sido embargado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Por causa do episódio Calero e Geddel deixaram o governo em novembro do ano passado.

A ação indica que Geddel pressionou Calero para que ele interviesse junto ao Iphan. A intenção, segundo o Ministério Público Federal, "era conseguir um parecer técnico favorável a seus interesses pessoais".

Segundo foi apurado no inquérito civil, Geddel era proprietário de um apartamento no 23º andar de um edifício de luxo, que seria construído em frente ao Portal da Barra, em Salvador. Por causa da altura - 107 metros - e da proximidade com outros bens tombados, o projeto foi inicialmente rejeitado pelo Iphan, na Bahia. No entanto, com base em um parecer do Coordenador Técnico, o órgão permitiu a continuidade das obras. Em decorrência do impasse técnico, a autorização emitida pelo órgão regional acabou sendo revogada pelo Iphan nacional que limitou em 13 pavimentos a altura máxima do empreendimento.

Com o objetivo de revogar essa limitação e abrir espaço para a execução do projeto inicial, Geddel passou, de acordo com a ação, a pressionar o ministro da Cultura. No processo a ser apreciado pela 5ª Vara Federal Civil do Distrito Federal, o procurador da República Ivan Cláudio Marx cita o depoimento dado por Marcelo Calero em que ele detalha as investidas de Geddel. São mencionados detalhes como o fato de o então ministro da Secretaria de Governo ter afirmado que havia comprado apartamento em andar alto do prédio, de ter ameaçado "pedir a cabeça do presidente nacional do Iphan", além de ter pressionado para que o então colega suscitasse o conflito de entendimento do órgão regional e enviasse o caso à Advocacia Geral da União (AGU) de onde poderia partir um parecer favorável à construção.

As pressões de Geddel se tornaram públicas após a demissão do ministro da Cultura, em novembro do ano passado. Ao deixar o governo, Marcelo Calero prestou depoimento à Polícia Federal e à Comissão de Ética da Presidência da República. Como decorrência dessa providência, Geddel já recebeu uma censura ética com base no Código de Conduta de altas Autoridades. À PF, o ex-titular da pasta da Cultura apresentou registro de conversas que manteve com integrantes do governo, como o ministro Eliseu Padilha e o próprio presidente Michel Temer, em que é possível comprovar a insistência de Geddel para que Calero decidisse favoravelmente a Geddel ou encaminhasse o caso à AGU.

Ao analisar as provas documentais e testemunhas reunidas durante a investigação, o Ministério Público Federal concluiu que Geddel praticou atos que configuram improbidade administrativa, na modalidade descrita no artigo 11 da Lei 8.429/92.

"Vislumbra-se na conduta do requerido a violação a princípios da administração pública, notadamente os princípios da honestidade, da moralidade, da imparcialidade, da legalidade e da lealdade às instituições, uma vez que se utilizou do cargo de Ministro chefe da Secretaria de Governo da Presidência para atender interesse pessoal e particular", pontua o procurador, na ação.

Filho de prefeito em SP é condenado após fazer a ex comer terra

O vereador Guilherme Prócida (PSDB), de Mongaguá, no litoral de São Paulo, foi condenado esta semana a três meses e 18 dias de detenção por agredir a ex-mulher. A vítima, uma professora de Educação Física, de 33 anos, foi alvo de socos na cabeça, teve o cabelo puxado e foi arrastada pela escada de casa.

As agressões que motivaram a mulher a denunciar Guilherme à polícia ocorreram às vésperas do Natal de 2011, segundo a advogada Cristina Yoshiko Saito. Na ocasião, ela discutiu e acabou ferida pelo ex-marido após descobrir uma suposta traição no relacionamento que mantinham há cerca de 3 anos.

Jovem é presa com 100 kg de maconha embaixo de berço

Uma jovem de 22 anos foi presa com quase 100 quilos de maconha escondidos embaixo de berço dentro da casa onde ela mora, em Feira de Santana, a 100 quilômetros de Salvador.


De acordo com a polícia, Vanessa Stefani Falcão era monitorada pelas equipes da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE) e foi flagrada no momento que tentava entregar uma encomenda.

Quando os investigadores perceberam a possibilidade de fuga da jovem, fizeram a abordagem.
Ainda segundo a polícia, uma pequena quantidade de cocaína foi encontrada com Vanessa. Quando os policiais civis foram até a casa da jovem, no bairro Jardim Cruzeiro, encontraram, embaixo de um berço, 33 tabletes de maconha. Em seguida, localizaram outros 50 tabletes dentro de um armário. Cada um pesando um quilo.

Paulo Silvino, ator e humorista, morre aos 78 anos no Rio

Morreu, na manhã desta quinta-feira (17), aos 78 anos, o ator Paulo Silvino, que lutava contra um câncer no estômago. Segundo a Central Globo de Comunicação, o humorista morreu em casa, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, no início da manhã.

Segundo a família, Silvino chegou a ser submetido a uma cirurgia no ano passado, mas o câncer se espalhou e a opção da família foi que ele fizesse o tratamento em casa.

Presos se rebelam em delegacia por condições de higiene e alimentação




Presos da Delegacia de Poções, no sudoeste baiano, se rebelaram na tarde desta última quarta-feira (16). Segundo a Polícia, os custodiados se queixavam de falta de higiene nas celas, além da qualidade da alimentação e da assistência médica. Conforme o Blog do Jeferson Almeida, os detentos chegaram a fazer dois internos como reféns, um deles acusado de estupro.

Eles também chegaram a queimar colchões e exigiram a presença da imprensa no local. Após negociação com a Polícia, ficou acertado a transferência dos detentos para presídios de Vitória da Conquista e Jequié. Após a rebelião, a Polícia apreendeu 12 celulares e maconha. O tumulto começou por volta das 14h e terminou às 18h40. Não houve registro de feridos.

UFC confirma Anderson Silva x Gastelum para novembro em Xanga

A expectativa foi confirmada. Em uma mensagem postada em seu twitter no fim da noite desta quarta-feira (já madrugada de quinta no Brasil), o UFC confirmou o duelo entre Anderson Silva e Kelvin Gastelum para o evento do dia 25 de novembro em Xangai. O Spider voltará ao octógono após seu último combate em fevereiro, quando derrotou Derek Brunson por pontos em Nova York.



Anderson e Gastelum deveriam ter se enfrentado no UFC 212, no Rio de Janeiro, em junho passado, em luta que foi anunciada oficialmente pela organização em março, logo após o americano derrotar Vitor Belfort no UFC Fortaleza. Contudo, Gastelum foi flagrado no exame antidoping depois da luta, por uso de maconha, e suspenso até julho. O Ultimate e Anderson não chegaram a um acordo sobre um adversário substituto para ele, e o brasileiro acabou retirado do evento. Gastelum, por sua vez, lutou no final de julho em Long Island e foi derrotado por outro ex-campeão dos pesos-médios, Chris Weidman.

Segundo apurou o Combate.com, lutar em Xangai foi um pedido do "Spider", que está gravando sua participação num filme na região. Gastelum foi o adversário escolhido, e faltava apenas a confirmação para o anúncio oficial.

O torneio será o primeiro do UFC na China continental; seus três eventos anteriores no país foram realizados em Macau, região administrativa do país

Senadora australiana veste burca para pedir proibição da vestimenta

Líder da extrema direita australiana, a senadora Pauline Hanson usou uma burca no Parlamento do país nesta quinta-feira para anunciar o posicionamento de seu partido, que defende a proibição na Austrália da vestimenta usada por muitas mulheres muçulmanas. A campanha da senadora provocou rápida repreensão do governo e de organizações islâmicas.

A entrada de Hanson com a roupa islâmica surpreendeu outras autoridades. O procurador-geral, George Brandis, condenou a atitude, classificando-a como uma ofensa a grupos religiosos, e foi aplaudido por membros dos partidos da oposição. Em discurso firme, Brandis afirmou que as ações da senadora podem isolar cerca de 500 mil australianos que aderiram à fé islâmica.

TRT-BA condena rede de farmácias por limitar acesso de funcionários ao banheiro

O Tribunal Regional do Trabalho, na Bahia (TRT), condenou a rede Santana S/A Drogaria Farmácias por dano moral coletivo, por ferir a legislação trabalhista e limitar o acesso dos funcionários ao banheiro, durante o expediente.



A denúncia foi feita pelo Ministério Público do Trabalho no estado (MPT), que solicitou a condenação ao TRT.

Segundo o argumento do ministério, a empresa feria a legislação do trabalho, porque oferecia sanitários sujos, sem papel higiênico e sem sabão. Além disso, as idas ao banheiro tinham horário delimitado.

A condenação do TRT determina que a rede de farmácias pague indenização por dano moral coletivo, no valor de R$ 30 mil. Caso descumpra a decisão, deverá pagar multa de R$ 500 por dia de descumprimento, cujo valor será destinado ao Fundo de Promoção do Trabalho Decente.

A ação foi movida pelo procurador do trabalho Pedro Lino de Carvalho Júnior, que acionou a Justiça do Trabalho, em 2015, depois que uma funcionária denunciou a situação e relatou a falta de papel higiênico, de sabão e a sujeira dos banheiros.

Durante a apuração da denúncia, o MPT constatou que a limpeza do banheiro feminino, por exemplo, era feita por um funcionário do sexo masculino, que “continuava ali ao mesmo tempo em que elas utilizavam o espaço e que o mesmo ainda controlava o tempo de uso”.

Ainda durante as investigações, o MPT descobriu que os funcionários precisavam informar a um superior que iriam ao banheiro. Caso utilizassem mais de duas vezes no turno, recebiam reclamações, além da ordem de trocar o absorvente menstrual em um banheiro separado.

Com a decisão do TRT, a Farmácia Santana está proibida de limitar o uso do banheiro para os empregados e deverá divulgar a decisão em local visível para os funcionários. A sentença foi dada após recurso apresentado pelo MPT, após a primeira instância ter julgado a denúncia improcedente.

O MPT informou, ainda, que a rede de Farmácias poderá recorrer da decisão. Até o fechamento desta matéria, a empresa não foi localizada pela reportagem.

Motorista é flagrado dirigindo em calçada

Uma cena inusitada foi flagrada no trânsito de Salvador. Um motorista foi visto dirigindo no calçadão da Barra. Em um vídeo divulgado por meio do aplicativo WhatsApp é possível ver que o condutor transita nas imediações do Cristo, sentido Ondina. A data do flagrante não foi identificada.De acordo com a Transalvador, o condutor será convidado para receber orientação. Caso o condutor fosse punido, por se tratar de uma infração gravíssima, ele poderia perder sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Jovem é presa com 12 kg de maconha

Letícia Santos Lima, de 18 anos, foi presa em flagrante com 12 kg de maconha nesta quarta-feira, 16, no Parque São Cristóvão, em Salvador. Ação foi realizada por policiais das Rondas Especiais (Rondesp/Atlântico), na localidade conhecida rua do Bom Natal.



Os policiais realizavam uma ronda na região quando identificaram alguns suspeitos, que, ao perceberam a presença dos PMs, fugiram. Na perseguição, a equipe entrou numa casa e encontrou Letícia com 12 quilos de maconha, 300 gramas de cocaína, alguns itens para preparo e venda de drogas, dois celulares, munições e cartuchos de revólveres.

A suspeita foi encaminhada com o material aprendido para a 12ª Delegacia Territorial (DT/Itapuã).

Operação da polícia erradica 35 mil pés de maconha

Após encontrar uma plantação com 200 mil pés de maconha com auxílio de drone, no último dia 8, uma nova operação da Polícia Militar erradicou mais 35 mil pés da droga nesta quarta-feira, 16, na cidade de Abaré (distante 530 km de Salvador), no norte do estado. Batizada de "Sertão Seguro", a ação foi iniciada depois de o setor de inteligência da polícia levantar informações sobre a localização da plantação.



Equipes do 20º Batalhão da PM encontraram o equivalente a 10 km de plantações de maconha em Ibó, região de Abaré, próximo à divisa da Bahia com Pernambuco. Uma amostra da droga foi separada para registro da ocorrência na Delegacia Territorial de Abaré e o restante foi incinerado.

Família descobre morte de jovem após fotos vazarem no WhatsApp

Uma jovem de 16 anos, encontrada morta em Búzios, no Rio de Janeiro, na noite desta terça-feira (15), teve fotos do corpo compartilhadas através do WhatsApp. Sabrina de Souza Vale Gonçalves estava desaparecida havia dois dias.



Segundo o jornal Extra, a família só soube da morte da adolescente depois que fotos do corpo dela, com marcas de tiros no rosto, foram enviadas para amigos através do aplicativo de troca de mensagens. A jovem havia sido vista pela última vez em um ponto de ônibus, minutos antes de deixar o local de moto, com um homem. Ainda segundo a publicação, no mesmo dia, os contatos da garota receberam as fotos do corpo.

No final da noite desta terça, policiais da Companhia da Polícia Militar de Búzios encontraram o cadáver de Sabrina em uma mata na mesma posição em que aparecia nas fotos compartilhadas. O corpo de Sabrina foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Araruama, onde foi feita a perícia. Nenhum suspeito havia sido preso.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Justiça marca júri popular de Kátia Vargas para 7 de novembro

A sessão de julgamento da médica Kátia Vargas Leal Pereira será realizada no próximo dia 7 de novembro, às 8h, pelo 1º Juízo da 1ª Vara do Tribunal do Júri, no Fórum Ruy Barbosa. A informação foi confirmada pela assessoria do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) na tarde desta quarta-feira (16).

A médica responderá por homicídio triplamente qualificado (por motivo fútil, perigo comum e por utilização de recursos que impossibilitaram a defesa das vítimas). Kátia Vargas é acusada de provocar o acidente que terminou com a morte dos irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes Dias, então com 21 e 23 anos, no dia 11 de outubro de 2013, em frente ao Bahia Othon Palace, na Avenida Oceânica, em Salvador.

Após o acidente, Kátia Vargas ficou presa por 58 dias no Presídio Feminino de Salvador, no Complexo Penitenciário da Mata Escura. Em 2014, o TJ-BA decidiu que a acusada iria a júri popular.

Mulher encontra rato em sanduíche de frango

Ellen Manfalouti, da Pensilvânia (EUA), está processando a rede americana de fast food Chick-fil-A, após ter encontrado um "recheio" bizarro em uma sanduíche de frango: um rato.


A americana, de 46 anos, comprou o lanche para viagem. No escritório, ao dar uma mordida no sanduíche, descobriu que, além do frango, havia outra carne, após ser alertada por uma companheira de trabalho, Cara Phelan.